SIGA NOSSOS CANAIS

0,05% SERÁ O AUMENTO REAL DO REAJUSTE DO SALÁRIO DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO ESTADO




O índice de 3% de correção salarial foi anunciado ontem pelo governador do Ceará, Camilo Santana (PT)

Os servidores do Estado terão reajuste salarial com ganho real de apenas 0,05% em 2018. Isso porque o índice de 3% divulgado ontem pelo governador do Ceará, Camilo Santana (PT), quase empata com a inflação do fechamento de 2017, de 2,95%, calculada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Segundo anunciou nas redes sociais, a correção será retroativa a janeiro. O texto para ser aprovado deve ser enviado em breve para a Assembleia Legislativa do Estado. Ontem, conforme O POVO apurou, ainda não havia chegado nenhuma mensagem do Governo. Também já estão engatilhados os projetos de reestruturação do Instituto de Saúde dos Servidores do Estado do Ceará (Issec) e o novo modelo de Previdência.

“Vamos honrar o reajuste dentro da inflação do período, que foi um pouco abaixo de 3%, mas resolvi arredondar para 3%”, disse.

Camilo não adiantou se alguma categoria teria reajuste diferenciado, mas, em entrevista ao O POVO, no dia 27 de dezembro, ele já sinalizava índices diferentes. Na época, afirmou que estava estudando pagar aos servidores a reposição da inflação e crescimento real apenas aos professores.

Em 2017, o Estado deu reajuste de 6,9% para os servidores que ganham até o mínimo e de 2% para os que ganham acima disto. Professores tiveram aumento de 7,64% e a Polícia Militar e Corpo de Bombeiros tiveram remuneração equiparada ao patamar médio dos demais militares do Nordeste.

Sobre o reajuste, que era esperado para pelo menos 5%, o coordenador-geral do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Estadual do Ceará (Mova-se), Flávio Remo, questiona o aumento dado e afirma que perdas acumuladas no atual governo superam 20%. “Mesmo com crise era possível dar um pouco mais. Acredito que um ganho real de 1%, 2% não desequilibraria as contas do Estado”.

Para o sindicalista, falta compromisso com os cerca de 64 mil servidores. Entende que o governo poderia ter compensado neste ano o reajuste de 2% do ano passado, abaixo da inflação. “Ele (governador) tinha condições de tratar melhor os servidores públicos, principalmente sendo candidato à reeleição, porque o servidor também é eleitor”.

Procurada, a Prefeitura de Fortaleza informou que deve concluir os estudos sobre o reajuste dos servidores municipais até o fim deste mês.

Fonte: O Povo / Colaboraram Irna Cavalcante e Artumira Dutra

Destaques da Semana