Estação espacial chinesa de 8,5 toneladas deve cair na Terra durante a Páscoa


A Agência Espacial Europeia estima que Tiangong-1 faça sua reentrada na atmosfera entre os dias 30 de março e 3 de abril 09:53 · 26.03.2018 / atualizado às 10:24 Estação espacial chinesa de 8,5 toneladas deve cair na Terra O mais provável é que a estação chinesa Tiangong-1 caia no mar, dizem especialistas

A Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês) atualizou as estimativas da data de reentrada na atmosfera terrestre da estação espacial chinesa Tiangong-1. A expectativa é que a estação, de 12 metros de comprimento, 3 metros de largura e aproximadamente 8,5 toneladas, caia na Terra durante a Páscoa, entre os dias 30 de março e 3 de abril. As informações são do jornal O Globo. A previsão é que a Tiangong-1 entre na atmosfera da Terra já praticamente destruída, mas é possível que peças mais resistentes "sobrevivam" à queda e atinjam a superfície de nosso planeta. 

No entanto, de acordo com a ESA, é muito improvável que os fragmentos caiam em regiões habitadas. A agência europeia vem acompanhando a lenta queda da estação desde que os cientistas chineses perderam o contato de rádio, e o controle da Tiangong-1, em março de 2016. Especialistas da ESA explicam que as chances de que a estação chinesa caia em regiões habitadas são ínfimas, primeiro porque, pela Terra ter cerca de 70% da superfície coberta por oceanos, é mais próvavel que a queda aconteça no mar. E depois, porque, seguindo a configuração da órbita da estação ao redor da Terra, a reentrada deve ocorrer entre aproximadamente os 43 graus de latitude Norte e 43 graus de latitude Sul. 

Assim, mesmo que as coordenadas de rotação abranjam todo o Brasil, a África, o Sul da Ásia e a Austrália, elas deixam de fora algumas das principais massas de terra e áreas mais populosas do planeta, como parte da América do Norte e o centro-Norte da Europa e da Ásia, incluindo a própria China. Estação espacial chinesa de 8,5 toneladas deve cair na Terra durante a Páscoa Foto: Reprodução / ESA As informações mais recentes apontam que a Tiangong-1 está a cerca de 250 quilômetros de altitude. De acordo com a ESA, essa estimativa é "altamente variável" e não é possível determinar exatamente quando a estação irá reentrar na atmosfera terrestre. 

 A pedido da ESA, o Instituto Fraunhofer para Física de Alta Frequência e Técnicas de Radar (Fraunhofer FHR), na Alemanha, também fez uma avaliação sobre a situação da estação chinesa. Imagens e medições de rotação realizadas pela agência alemã mostraram Tiangong-1 está com sua estrutura geral ainda intacta, inclusive os frágeis painéis solares, a uma altitude calculada em 270 quilômetros e velocidade de cerca de 29 mil km/

As mais lidas da semana