Prefeitura de Sobral dá R$ 17 mil a agentes de segurança por apreensão de armas


A cidade recompensou sete policiais civis e 18 militares pela apreensão de 9 armas de fogo e 59 munições. Os policiais do município de Sobral, receberam o primeiro pagamento da premiação por apreenderem armas de fogo.

 Ao todo, a cidade gastou R$ 17.640 para recompensá-los. Segundo o decreto municipal de 1982, que entrou em vigor no último mês de fevereiro, as gratificações devem ser pagas mensalmente. Neste mês, sete policiais civis e 18 militares foram agraciados com a premiação nesta sexta-feira (23). De acordo com o secretário de segurança do município, Major Erlânio Matoso, a iniciativa estimula os profissionais de segurança a garantir a segurança na região. “A ação é bem positiva para estimular cada vez mais a atuação das instituições para estimular ainda mais esses profissionais para ter mais afinco nas operações, diminuindo o número de armas”, explicou o titular da pasta. Entretanto, no município, a iniciativa divide opiniões. 

Para uns, a medida vai contribuir para a redução de crimes, enquanto para outros, os agentes de segurança devem cumprir com as obrigações de seu cargo sem a necessidade de recompensas. O taxista Edcarlos Silva é um dos que apoia a premiação. “Eu acho uma boa porque é um incentivo. Sobral está em um caso sério. Você não tem mais tranquilidade nas casas e no nosso trabalho”, afirma. Já o músico Simões Carolino pensa diferente. “Eu sou contra. Eu acho que o profissional tem que produzir conforme o cargo que desempenha. 

Ele deve defender a sociedade pelo salário que já ganha”, pontua. Somente neste mês, o projeto apreendeu nove armas de fogo e 59 munições. Além foram concluídos sete inquéritos policiais com indiciamento dos acusados por crimes dolosos contra a vida. Ao todo, foram pagos R$ 17.640 em gratificações aos policiais pelo município de Sobral. Policiais civis e militar, guardas municipais, agentes penitenciários e de trânsito e policiais rodoviários federais que trabalham na cidade podem ser agraciados pelo decreto.

As mais lidas da semana