SIGA NOSSOS CANAIS

Cearense é a primeira brasileira na história a ser ouro em Olimpíada Internacional de Química


A estudante cearense Ivna de Lima Ferreira Gomes, de 16 anos, foi medalhista de ouro na Olimpiada Internacional de Química, que aconteceu na República Tcheca e Eslováquia. Esta é a primeira vez na história que uma mulher brasileira cearense conquista esse título. 

Além de Ivna, mais dois estudantes de Fortaleza foram medalhistas na competição. João Victor Moreira Pimentel (16), levou a medalha de prata e Orisvaldo Salviano Neto (17), conquistou o bronze. Vinícius Figueira Armelin, de São Paulo, também representou o Brasil e conquistou o ouro.

Todos os participantes passam por dois exames - um prático e outro teórico -, tendo avaliações, e os 10% mais bem pontuados são premiados com a medalha de ouro.

De acordo com o site da olimpíada (50t IChO 2018), participaram 76 países. Ao todo, 35 alunos conquistaram o ouro. Esse foi o melhor desempenho do Brasil na história de todas as modalidades de olimpíadas científicas. 



Moradora do bairro Benfica, Ivna conta ao O POVO Online que foi incrível participar da olimpíada e conquistar a medalha de ouro. "É a concretização de um sonho que eu nem ousava sonhar há algum tempo, e a recompensa por quase 4 anos de muito estudo pra essas competições".

Para a estudante, a premiação não foi importante só para ela, mas para que todos os participantes dos próximos anos vejam que é, sim, possível. "E para que todas as meninas que se interessam pela ciência se sintam representadas e encorajadas a sonhar alto, independente dos estereótipos de gênero e dos obstáculos que são, muitas vezes, impostos às meninas", conclui.

Ivna participou em 2017 da IChO e foi medalhista de prata. No mesmo ano, foi ouro na Olímpiada Ibero-americana de Química.