SIGA NOSSOS CANAIS

Camilo sobe o tom contra Tasso: "nunca ajudou em nada"

| DEBATE ELEITORAL | Liderando as pesquisas de intenção de voto, o governador Camilo Santana foi o alvo do último debate antes da eleição

O governador Camilo Santana (PT) subiu o tom contra o senador Tasso Jereissati (PSDB) no último debate realizado pela TV Verdes Mares, na noite de ontem. Questionado pelo candidato General Theophilo (PSDB) sobre a ampla aliança, composta por 24 partidos, o petista afirmou que procurou todos os senadores para ajudar o Estado, mas que o único de quem não recebeu retorno foi o tucano.

"Nunca ajudou em nada no período em que eu estou no Governo", disparou o governador Camilo.

Em resposta, o militar reformado contra-atacou argumentando que o senador do PSDB "levou" o governador para conhecer todos os ministros da gestão do presidente Michel Temer (MDB) e que ajudaram o Ceará.

A declaração do governador foi uma das mais fortes em relação ao senador. Ainda em 2016, em agendas conjuntas, Tasso chegou a afirmar que o petista tinha um "jeitão de tucano".

O principal questionamento do primeiro bloco do debate foi a mudança de lado do senador Eunício Oliveira (MDB), que em 2014 disputou a cadeira de chefe do Palácio da Abolição, mas que agora segue ao lado do governo estadual.

Camilo também teve que responder às críticas do candidato Ailton Lopes (Psol) em relação ao apoio do petista ao presidente do Congresso Nacional. "Não faço política com ódio. Procurei todos os senadores, deputados. O Estado sofre muitos problemas. O Eunício ajudou a destravar recursos", respondeu o governador.

Colocando o chefe do Executivo estadual no centro das críticas, o candidato do PSDB apontou ainda o agrupamento de partidos em torno do Governo e condenou a troca de apoio por cargos na gestão. "É o toma lá dá cá. É o balcão de negócios", criticou o tucano ao relembrar que o senador Eunício doou R$ 600 mil à campanha do PT.

O segundo bloco foi marcado pelos temas de saneamento básico, turismo e meio ambiente. O governador, que lidera as pesquisas de intenção de voto, foi o alvo mais uma vez. O candidato Ailton Lopes (Psol) criticou a política ambiental e de saneamento básico do Governo. "O Ceará é o quarto Estado do Nordeste com esgoto a céu aberto. Por isso que a gente precisa entender que (os avanços) passa pela coleta de lixo", cobrou o psolista.

Um dos pontos altos do debate foi a troca de farpas entre Hélio Gois (PSL) e general Theophilo (PSDB). O professor universitário afirmou que o general não era um militar "raiz" porque estava ligado ao socialismo e era a favor do desarmamento. "Um militar raiz não apoiaria Alckmin, e sim Bolsonaro", disse.

Em resposta, o tucano chamou o adversário de "garoto" e disse que ele não sabia o que estava dizendo. "Tome vergonha. Vem querer falar de militar raiz para um general de quatro estrelas?", retrucou. Classificando o adversário como "lunático", e que falava "asneiras", o tucano disse sentir "vergonha" de ter Hélio como adversário na corrida ao Palácio da Abolição.

BASTIDORES

Pré-debate

Militantes dos candidatos ao Governo do Estado ficaram do lado de fora da emissora. Bandeiras do Camilo e do General tomavam conta do local.

Entre as bandeiras favoráveis ao petista, a relação do governador era feita com o presidenciável Ciro Gomes (PDT), e não com Fernando Haddad (PT), adversário do cearense.

O governador Camilo Santana (PT) foi o último candidato a chegar ao debate. O petista chegou dirigindo o próprio veículo ao lado da vice-governadora Izolda Cela (PDT).