SIGA NOSSOS CANAIS

Lazer: jovens de Sobral recebem segunda Estação dos Games


A partir dessa quinta-feira (27), os jovens de Sobral contarão com mais um espaço de lazer, com a inauguração da sala de games na Praça da Juventude, no bairro Vila União, periferia da cidade. Equipado com dez cabines, cada uma com um console PlayStation 4, dois controles bluetooth e jogos, a Estação dos Games promete ser mais um ponto de encontro para quem gosta de jogos eletrônicos.

Mais lazer

De acordo com Igor Bezerra, secretário da Cultura, Juventude, Esporte e Lazer (Secjel), de Sobral, “a primeira estação dos games foi instalada na Estação da Juventude Padre Albani (Cohab I), em setembro deste ano, e teve investimento superior a R$ 60 mil. Esse projeto é pioneiro no Brasil, e visa a ocupação de jovens, por meio do entretenimento e da linguagem dos games. Posteriormente, os centros culturais dos distritos Aracatiaçu e Taperuaba e Estações Juventude Novo Recanto e Parque do Mucambinho também serão contemplados”, adiantou.

Utilização

Para frequentar a Estação dos Games, os interessados deverão realizar um cadastro, informando a escola e o horário em que estudam, assim como indicar endereço e telefone. Será necessária, ainda, a assinatura de um termo de uso dos equipamentos, pelo responsável do jovem, afirmando a utilização do espaço no contraturno escolar. Cada usuário terá direito a 5 horas semanais (1 hora diária).

Espaços

Instaladas nos bairros Novo Recanto, Cohab I, Nova Caiçara e Tamarindo, as Estações da Juventude elaboram uma série de estratégicas para levar aos jovens de 12 a 29 anos, políticas e programas que garantam seus direitos e os auxiliem na emancipação, participação social e autonomia, considerando cada história, cultura e potencialidade das pessoas que habitam as áreas atendidas.

Além de ampliar o acesso desses jovens, os equipamentos criam redes de suporte, em especial para aqueles que vivem em situação de risco, oferecendo também, ações que desenvolvem políticas para juventude, por meio de conexões sociais e geração de novos serviços. Entre eles, está o Acolhimento, com inserção na programação da Estação ou nos projetos desenvolvidos na cidade para os jovens.


Estação da Juventude da Cohab I, Sobral-CE; Estações da Juventude ampliam atendimento aos moradores de Sobral (Foto: Marcelino Júnior).
Integração

Para fortalecer o convívio comunitário e estreitar mais ainda o canal entre os gestores públicos e os moradores dos bairros, a estrutura trabalha ainda o eixo da Comunidade Participativa, que tem como matriz o Comitê Gestor local, além dos serviços ofertados mensalmente à comunidade.

Entre os atendimentos estão a formação básica em hip hop, capoeira, danças urbanas, percussão e violão; a realização de diversos círculos de diálogos sobre bullying, redução de danos, protagonismo juvenil; bate papo sobre Meio Ambiente, trânsito seguro, sustentabilidade; além de oficinas de geração de renda, serviço de convivência e fortalecimentos de vínculos e inscrições em cursos profissionalizantes.

Ações

De acordo com Eremilda Rodrigues, diretora da Estação da Juventude da Cohab I, “ temos uma média de 1.704 atendimentos de pessoas de idades variadas, pois a ideia é alcançar a comunidade como um todo. Temos o projeto “Estação das Artes”, que amplia esses serviços em outros territórios mais vulneráveis, com um trabalho descentralizado, realizado até em escolas”, explica a diretora sobre as ações realizadas pelo equipamento, inaugurado em dezembro de 2016. As atividades vão de 8 às 22 horas, de segunda a sexta-feira, e quando necessário, aos finais de semana.

Saiba mais

Criado no ano passado pela Secretaria Nacional da Juventude (SNJ), o programa Estação da Juventude se desenvolve por meio de cooperação entre Governo Federal e órgãos ou entes federados, sob forma de convênio, com duração de 2 anos. Entre suas linhas de ação, estão a criação e manutenção do Comitê Gestor Local, com a participação de gestores de diferentes pastas e da própria comunidade, inclusive os jovens, além de levantamento do tipo de vulnerabilidade ou a demanda social apontada pelos próprios moradores, que reforça a execução do programa.