SIGA NOSSOS CANAIS

CHEFES DE FACÇÃO CRIMINOSA CEARENSE SÃO PRESOS LEVANDO VIDA DE LUXO EM PERNAMBUCO

Um dos presos é apontado como participante da Chacina das Cajazeiras 

Dois integrantes de facção criminosa cearense foram presos neste fim de semana no bairro Boa Viagem, em Recife. Francisco de Assis Fernandes da Silva, o Barrinha, e Francisco Tiago Alves do Nascimento, o Tiago Magão, levavam vida de luxo na capital pernambucana. Eles são apontados nos relatórios de inteligência da Polícia Civil cearense como mandantes de ações da facção. 

Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS), Barrinha tem passagens na Polícia por sequestro, roubo e homicídio e foi denunciado pelo Ministério Público como um dos participantes da Chacina das Cajazeiras, em 2018. Ele era um dos criminosos mais procurados do Ceará até 2014, com envolvimento em ações contra bancos. "A prova da periculosidade e do grau de organização era a ostentação diuturna de riqueza que eles mantinham. Foram apreendidos relógios de alto valor e grande quantidade de dinheiro", analisou Marcus Rattacaso, delegado geral da Polícia Civil. 

As informações foram divulgadas em entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira, 15. A operação foi realizada pela Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) e pelo Departamento de Inteligência Policial (DIP). "Esses alvos integravam o conselho final de uma organização aqui no Ceará e estavam exercendo uma vida de luxo. As investigações se iniciaram após a chacina (das Cajazeiras) e a partir de então foi incumbido à Draco e ao DIP neutralizar todas as camadas dessa organização", disse o delegado Harley Filho, titular da Draco. 

A operação para capturar a dupla começou na sexta-feira, 12. Barrinha foi preso após cerco policial. Na casa dele, os policiais encontraram R$ 13.803 em espécie, 11 relógios de luxo, dois anéis de ouro, 11 cartões bancários e documentos falsos. No veículo do preso, os policiais encontraram uma pistola calibre 9 milímetros, com dois cartuchos e 33 munições. "Enquanto as lideranças estão usufruindo, seus subordinados estão aqui praticando homicídios e tentando dar lucro ao tráfico de drogas. É interessante trazer esse pensamento para quem esta na ponta, se vale a pena estar no fronte enquanto as chefias estão luxando", apontou Harley Filho. 

Já Tiago Magão foi capturado no sábado, 13. Ele soube da prisão de Barrinha e se preparava para fugir da Polícia. No apartamento dele, no mesmo bairro em que morava Barrinha, a Polícia encontrou cartões bancários e documentos com nome falso. A operação da Polícia também teve diligências em Natal onde, em dezembro, a Polícia tinha capturado um comparsa da dupla - Yago Steferson Alves dos Santos, o Yago Gordão. "O recado que passamos é que se continuar cometendo crimes, independente das fronteiras do Ceará, vamos pegar onde estiver", disse Harley Filho. 

Fonte: O Povo