SIGA NOSSOS CANAIS

PRODUTORES RURAIS E COMERCIANTES PROTESTAM CONTRA TAXAS COBRADAS NA CEASA DE TIANGUÁ

Todas as terças e sextas-feiras, no começo da manhã, centenas de agricultores montam seu ponto de venda na feira da Ceasa (Centrais de Abastecimento do Ceará) de Tianguá, onde são comercializados cereais, frutas, legumes, hortaliças, carnes e outros produtos. A Ceasa atende não apenas à demanda dos municípios da região Norte do Estado, mas também os mercados do Maranhão, Piauí e Pernambuco. Com 62 anos de história, a Ceasa de Tianguá, mantém o destaque de grande convergente, não apenas de tudo o que se produz na Serra da Ibiapaba, mas também no restante do Ceará, mas todas essas conquistas parecem estar sendo perdidas diante dos problemas enfrentados ultimamente. 


Produtores que usam o local reclamam da falta de estrutura, banheiros e segurança, mas a queixa principal dos usuários são as altas taxas cobradas para que possam adentrar com seus veículos e vender a produção. Na verdade a Ceasa cobra tanto de que entra para vender como de quem entra para comprar os produtos, as reclamações inclusive já foram tema de audiência publica na câmara municipal em 2017, mas nenhuma providencia foi tomada pela gerencia local. 


Uma das alegações seriam de que a Ceasa de Tianguá é vinculada a de Maracanaú e que a direção local não teria autonomia para alterar valores cobrados. Cansados de esperar por uma solução do problema, os comerciantes resolveram protestar na manhã desta terça-feira (21), e toda a feira foi comercializada fora das dependências da central. As ruas em volta da Ceasa ficaram lotadas de caminhões carregados de hortifruti e os produtos foram comercializados no meio da rua. Parte do transito ficou congestionado na BR-222 em frente a Ceasa de Tianguá. A Policia Militar, o Demutran e a Guarda Municipal estiveram presentes para evitar acidentes ou tumultos, mas a feira transcorreu sem problemas, ninguém pagou taxa e toda a produção foi vendida. 


Os organizadores comemoraram a adesão ao protesto desta terça-feira e prometem repetir o ato na próxima sexta, caso não haja sinalização positiva de se reduzir as taxas consideradas exorbitantes. De acordo com informações dos produtores um caminhão de outra região, carregado com 15 toneladas precisa pagar R$ 950,00. Um Caminhão Toco paga R$ 400,00 e um Caminhão Truck, R$ 700,00. Carros médios, com ate 4 toneladas pagam R$ 220,00. Das motos, carroças e motos com reboque também são cobradas taxas na entrada e na saída.