SIGA NOSSOS CANAIS

Período de setembro/2017 a julho/2019, a Célula de Estudos de Mortes Violentas realizou 22 Estudos de Casos de adolescentes e jovens assassinados/as nos bairros Vila União, Terrenos Novos e Residencial Nova Caiçara. Através desses estudos estão sendo destacadas evidências e construídas recomendações como critérios para evitar futuras mortes violentas.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
A trajetória de vidas desses/as adolescentes e jovens assassinados/as narra seu percurso escolar e aponta que 36% dos casos estudados se inseriram no 1º ano do Ensino Médio Regular. 
Assim, destes/as que conseguiram chegar nesta série 63% obtiveram reprovação como situação final.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
15 anos de idade é o marco para imersão dos/as estudantes, em idade regular, na etapa educacional Ensino Médio. Essa idade se localiza no período da adolescência e carrega uma série de conflitos em seu desenvolvimento físico e estruturação psicológica. Os conflitos diários com seus familiares e vizinhos/as se estende às divergências que uma escola do Ensino Médio enfrenta. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
A prevenção da Reprovação no 1º ano do Ensino Médio deve deslocar o olhar da queixa “aluno/a problema” para a prática intersetorial. O baixo desempenho da série pelo/o aluno/a deve ser diagnosticado além do sinal da nota baixa na prova. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Recomenda-se que a Escola, após a identificação do/a aluno/a em baixo desempenho na série, deve traçar junto aos profissionais dos dispositivos mais próximos (Posto de Saúde, Centro de Referência da Assistência Social, Quadra Esportiva, etc.), o Plano de Cuidado Integral com ações concretas que incluam os/as adolescentes na 
construção, execução e avaliação das propostas.