SIGA NOSSOS CANAIS

Vereador de Sobral acusado de estelionato vai para penitenciária da cidade


Romário Araújo foi transferido da Delegacia de Capturas de Natal (RN) e chegou, na manhã de hoje, à Delegacia de Sobral

O vereador Romário Araújo (SD), mais conhecido como Conselheiro Romário, chegou à Delegacia Regional de Sobral nesta quinta-feira (15). No local, ele assina documentos e segue para a Perícia Forense, onde fará exame de corpo de delito. 

Ainda hoje, o vereador deve ser encaminhado para a Penitenciária Industrial Regional de Sobral. Ele ficará na ala de presos provisórios à disposição da Justiça. Romário estava detido desde a sexta-feira (9) na Delegacia de Capturas de Natal (RN). 

A prisão preventiva do parlamentar foi decretada em 25 de julho, pela juíza Joyce Sampaio Fontenelle Durval. Ele ficou foragido por duas semanas. 

Romário foi localizado pela Polícia em uma pousada em Natal. "Ele estava em uma pousada, curtindo, passeando. Estava sozinho e postando foto nas redes sociais, em passeio pelo mar", disse o delegado municipal de Sobral, Marcio Luz, no dia da captura. 

Câmara

Conselheiro Romário, que está afastado da Câmara Municipal também por ordem judicial, é acusado de crime contra o patrimônio e estelionato. O vereador tem outro mandado de prisão aberto no estado do Paraná, por não pagamento de R$ 40 mil de pensão alimentícia. 

Histórico

Desde fevereiro, Romário Araújo é investigado por prometer empregos públicos em troca da participação em um curso. Apenas neste caso, pelo menos 36 pessoas prestaram queixa na delegacia contra o vereador. Uma das vítimas afirma que pagou R$ 900 para participar de suposto curso preparatório para o exercício de função na área de fiscalização institucional do Governo do Estado.

Em abril, os vereadores rejeitaram representação que acusava Araújo de quebra de decoro parlamentar. O requerimento pedia o afastamento do vereador e a instauração de uma comissão para apurar as denúncias contra o parlamentar do Solidariedade. O recebimento da denúncia, entretanto, foi rejeitado por 10 votos contra, 8 a favor e duas abstenções.