SIGA NOSSOS CANAIS

Central de Tratamento de Sobral é concluída e já pode receber resíduos


O Ceará se movimenta para cumprir a meta nacional de fechar todos os lixões até 2020. Para viabilizar o processo, a primeira Central de Tratamento de Resíduos (CTR) do Estado foi concluída em Sobral no último dia 10. Com isso, o centro, que irá atender a região do Cariri, já pode começar a receber resíduos. Com o fim da obra, o CTR passará à responsabilidade do Consórcio de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos da Região Metropolitana de Sobral (CGIRS-RMS), que executará as atividades por 20 anos.
O  secretário das Cidades, Zezinho Albuquerque, informou ao Diário do Nordeste na manhã de hoje (12), os próximos passos para viabilizar o funcionamento do equipamento. Durante a tarde, o secretário assina "junto ao consórcio, o Termo de Cessão, passando a posse do empreendimento para o próprio consórcio executar as atividades de reciclagem, tratamento e de reutilização dos resíduos pelo período de 20 anos”. O Consórcio Municipal agrega, ao todo, 17 municípios.

Central de Tratamento dos Resíduos
A implantação da Central de Tratamento dos Resíduos, primeira unidade concluída pela Superintendência de Obras Públicas (SOP), é uma solução articulada pelo Governo do Ceará, através da Secretaria das Cidades, para gerenciar diversos tipos de resíduos sólidos e encerrar os “lixões”. O valor total da obra é R$ 41 milhões e contempla, além de Sobral, mais 16 Municípios do Interior: Alcântaras, Cariré, Coreaú, Forquilha, Frecheirinha, Graça, Groaíras, Massapê, Meruoca, Moraújo, Pacujá, Pires Ferreira, Reriutaba, Santana do Acaraú, Senador Sá e Varjota.
O equipamento conta com aterro sanitário equipado com unidades de tratamento de resíduos da construção civil e da saúde, além de um pátio para compostagem. Os Municípios consorciados terão acesso a seis estações de transbordo de materiais a fim de melhorar a logística do trajeto até o destino final. Além da estrutura do aterro, está prevista a criação de centrais municipais de reciclagem, que deverão trabalhar com a parte seca dos resíduos. O material será separado por catadores capacitados ligados à cooperativas, com a perspectiva de geração de emprego e renda.
“Atualmente, os resíduos sólidos coletados nesses municípios são conduzidos a lixões, onde são dispostos diretamente no solo, sem nenhum tipo de tratamento. O consórcio terá como finalidade garantir a reciclagem, o tratamento e a reutilização dos resíduos, a partir do estabelecimento de uma gestão integrada”, destaca o secretário das Cidades, Zezinho Albuquerque.

Diário do Nordeste