SIGA NOSSOS CANAIS

O SIDUVA escreveu em nota:



“No dia 9 de novembro de 2019, a comunidade acadêmica da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA) foi surpreendida com a triste e preocupante notícia de que o governador Camilo Santana se comprometeu, com a Diocese de Sobral, a revogar a desapropriação do Campus da Betânia da UVA, anulando os efeitos do Decreto n.º 33.281, assinado por ele mesmo e publicado em 23 de setembro de 2019, no qual o Campus da Betânia - com seus imóveis, benfeitorias, acessões e outros acessórios, existentes na área total de 60.831,35 m² - foi declarado de Utilidade Pública.
​A desapropriação do Campus da Betânia é uma luta antiga dos movimentos docente e discente da UVA. Ele é o maior campus em extensão da instituição, abrigando três dos seis Centros de Ensino (Centro de Ciências Agrárias e Biológicas, Centro de Ciências Sociais Aplicadas e Centro de Filosofia, Letras e Educação) e parte do Centro de Ciências Humanas, em razão da reforma do Campus do Junco, iniciada em março de 2019. O Campus da Betânia abriga ainda os órgãos de Direção Superior, Pró-Reitorias, Setores Administrativos, Órgãos de Assessoramento, Procuradoria Jurídica, Biblioteca Central, Auditório Central, Núcleo de Educação à Distância, Restaurante Universitário, dentre outros.  
Ao longo de décadas, o Governo do Estado do Ceará tem feito benfeitorias de alto custo, construindo prédios e fazendo reformas no campus. Além de pagar à Diocese de Sobral o aluguel que chega atualmente a quase 1 milhão de reais por ano. Ou seja, dinheiro público que favorece uma entidade privada. Para agravar ainda mais a situação, a falta de escritura pública do terreno impede a Universidade de pleitear recursos e formalizar termos de cooperação e convênios junto às agências de fomento à pesquisa (FUNCAP, CAPES, e CNPQ) no Campus da Betânia.
​Atualmente, a nossa Universidade atende à parcela mais pobre da região noroeste cearense e de suas adjacências. Mesmo em condições precárias, somos responsáveis por formar quase que a totalidade dos professores que atuam na melhor educação pública infantil do Brasil, envolvendo as redes estaduais e municipais de ensino.
​Revogar o importante Decreto n.º 33.281/2019, que torna o Campus da Betânia de Utilidade Pública, é um retrocesso, um descaso e uma grande falta de reconhecimento à histórica demanda da comunidade acadêmica. Tal revogação é desrespeitosa, demonstra descompromisso do Governo Estadual com a UVA e seu crescimento e revela o seu total compromisso político com a diocese local. O Estado deve ser guardião e ampliador de bens públicos e não privados!
Que motivos levaram o governador a revogar a desapropriação tão pouco tempo depois de ser decretada? Por que a revogação foi feita sem participação da comunidade acadêmica? Jamais permitiremos que a desapropriação, fruto de anos de luta da comunidade acadêmica e de parte significativa da sociedade cearense, seja revogada arbitrariamente! Conclamamos discentes, docentes e todos(as) que amam essa Universidade para nos mobilizarmos e exigirmos a DESAPROPRIAÇÃO IMEDIATA!”