8 de fev. de 2020

APÓS MANIFESTAÇÃO, GOVERNO RECUA E PROMETE ENVIAR NOVA TABELA COM REAJUSTE SALARIAL PARA PM'S E BM'S


Comissão formada por representantes de policiais, deputados estaduais e membros do Governo irá discutir mudanças na proposta de reajuste salarial  ~

Após reunião de quase duas horas com representantes de militares na tarde de ontem, o governador Camilo Santana (PT) cedeu e garantiu que só fechará a proposta de reajuste salarial da categoria e a enviará à Assembleia Legislativa (AL-CE) quando houver acordo.  
O petista, que recebeu a comitiva depois de protesto dos policiais, abriu uma mesa de negociação para rever pontos do texto apresentado na sexta-feira, 31, tais como o número de parcelas dos pagamentos, que pode ser reduzido de quatro para três; o valor da parcela inicial, prevista para março deste ano; o reajuste a ser pago na mudança de patente dos policiais e bombeiros; e o valor da remuneração variável (metas, horas extras e gratificações).  
Formada por membros das associações de militares, deputados estaduais e integrantes do Governo e do Ministério Público do Estado (MPCE), uma comissão se reunirá já na próxima segunda-feira, 10, às 14 horas, na AL-CE, para discutir possíveis mudanças.  
Logo depois da conversa na sede do Governo, Camilo afirmou que caberá a essa comissão avaliar "de imediato a proposta apresentada" pelo Abolição a fim de "chegar ao melhor termo, antes do envio à Assembleia". O petista também disse que está "aberto ao diálogo" para encontrar um reajuste "que atenda aos anseios dos policiais e que esteja dentro das possibilidades financeiras do Estado".  
O projeto sugerido inicialmente pelo governador fixa percentuais de aumento que vão de 10% até 32% para policiais e bombeiros em quatro anos, concedidos em regime escalonado, a depender da patente. Os índices, considerados baixos, foram criticados por setores da corporação, sobretudo sargentos, soldados e cabos.  
Questionado se houve recuo ante pressão dos militares, o Secretário da Casa Civil, Élcio Batista negou. "Não houve. O Governo está sempre aberto a dialogar. Isso faz parte da democracia."  
Líder do Governo na AL-CE, o deputado Júlio César Filho (Cidadania) disse esperar que Estado e associações de militares entrem em consenso e evitem focos de tensão. "Uma possível paralisação não é bom para nenhum lado", advertiu.  

Pontos a serem negociados  

Redução de quatro para três parcelas no pagamento  
Valor da primeira parcela do escalonamento antecipado e possivelmente maior  
Valor do reajuste a ser pago na mudança de patente  
Valor da remuneração variável (metas, horas extras e gratificações por exercício de atividade especial, que poderá ser incorporado ao salário fixo)  

Fonte: O Povo

Compartilhe essa notícia com seus amigos:

Publicação anterior
Próxima publicação

Destaque

A vítima foi uma mulher identificada por Viviane Carla Bonfim, ela morreu no início da manhã de hoje (28), na avenida principal que dá acess...

Continue lendo