16 de mar. de 2021

Ceará aluga câmaras frigoríficas para contenção de cadáveres após aumento das mortes por Covid


Em maio de 2020, durante pico da pandemia, unidades de saúde já haviam recebidos câmaras semelhantes.

O Governo do Estado do Ceará alugou câmaras frigoríficas para acondicionamento de cadáveres no Hospital Geral de Fortaleza e Hospital São José, além das unidades de pronto atendimento (UPAs) e unidades de saúde da rede da Secretaria da Saúde do Estado.

Conforme o Diário Oficial, serão alugadas oito câmaras, no valor de R$ 212 mil, com dispensa de licitação. Ainda conforme o documento oficial, a justificativa para o aluguel das câmaras é o aumento dos novos casos e óbitos pela Covid-19 no estado.

"A aquisição tem como justificativa o recrudescimento do cenário de pandemia de Covid-19, doença causada pelo novo coranavírus."

"O número de casos confirmados de Covid-19 e de pacientes demandando internação hospitalar tem se elevado exponencialmente, como pode ser visto nos relatórios de ocorrência das regiões", diz outro trecho do Diário Oficial.

Em maio de 2020, quando o Ceará enfrentou o pico da pandemia e o maior número de mortes pela doença, câmaras frigoríficas semelhantes foram instaladas em UPAs de Fortaleza.

Aumento das mortes e isolamento social
A média diária de mortes por Covid-19 no Ceará subiu 28% na primeira quinzena de março em comparação com o que foi observado no mês de fevereiro.

Nos primeiros 14 dias deste mês, foram contabilizados, em média, 41 mortes pela doença no estado a cada 24 horas; no mês anterior, a média foi de 24 falecimentos a cada dia.

Um decreto em vigor em todo o estado determina que apenas atividades consideradas essenciais podem manter as atividades. As medidas valem até domingo, 21 de março.

O decreto foi estabelecido inicialmente para Fortaleza e em seguida ampliado para todo o estado devido ao aumento dos casos e óbitos pela Covid-19. Via G1.

Não esqueça de compartilhar essa notícia!

Publicação anterior
Próxima publicação

0 comentários: