29 de mai. de 2021

Polícia do Ceará alerta para 'golpe do falso médico' que utiliza nome de pessoas intubadas com Covid

Uma mulher, que está com a mãe intubada com Covid-19 em um hospital particular de Fortaleza, recebe uma ligação de um suposto médico dizendo que a parente apresentou piora no quadro de saúde e que a família precisa arcar com os custos de novos exames. Segundo a Polícia Civil do Ceará (PCCE), o antigo "golpe do falso médico" está com roupagem nova, aproveitando-se do momento de pandemia.

A Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF) ainda não recebeu nenhum Boletim de Ocorrência (B.O.) sobre o crime no Ceará, mas tomou conhecimento do registro do golpe em outros estados, como no Rio de Janeiro, e no Distrito Federal. A família que foi alvo do golpe em Fortaleza não denunciou o caso à Polícia por medo de represálias. 

A analista de crédito Paula Cavalcante (nome fictício), filha da idosa de 84 anos que está hospitalizada com Covid-19 há duas semanas e irmã da mulher que recebeu a ligação do golpista, conta que o episódio ocorreu na manhã da última quinta-feira (27).

"Foi numa ligação normal. O nervosismo foi geral na família. Você está com uma mãe intubada, fragilizada, todo mundo tá numa angústia por notícia. Você recebe uma ligação de um golpista se passando por médico, com o nome e tudo, dizendo que a mãe teve uma piora. Você acaba tendo que ouvir." PAULA CAVALCANTE, Analista de crédito

O Diário do Nordeste teve acesso à gravação da ligação. O falso médico se identifica, passa dados pessoais da idosa internada, do hospital onde ela está, do plano de saúde da mesma e até informações técnicas médicas. "Por volta de 7h da manhã, ela teve um leve agravamento da saúde. Eu, como médico responsável por ela, pedi uma coleta sanguínea. Estudando o resultado em minhas mãos, eu pude verificar que ela contraiu uma infecção KPC (klebsiella pneumoniae carbapenemase, uma espécie de superbactéria). Se ela se expandir pelo corpo, pode paralisar o rim, baço, até mesmo o pulmão", afirma.

"Para combater essa infecção, precisa de medicamentos manipulados, onde obteremos a reversão e a melhora do quadro clínico dela. Para poder passar essa medicação, eu necessitei de duas tomografias. Tomografias em alta dimensão, sistema multilaser 3D. Só que nós enviamos o procedimento para o plano de saúde dela, que estabeleceu a liberação do procedimento de 7 a 10 dias. Você viu que absurdo?!" FALSO MÉDICO, em ligação

Então, o falso médico questiona se a filha da mulher internada pode adiantar o valor de R$ 1,2 mil por uma transferência bancária por PIX e depois pedir ressarcimento ao plano de saúde. Ela aceita e pede os dados bancários. Mas a família suspeita de algumas atitudes do "médico" e não realiza a transferência financeira. O número do celular do golpista era de Pernambuco e a conta bancária do Mato Grosso.

"A princípio, ela (irmã) ficou nervosa. Mas como tinha outra pessoa ouvindo no viva voz, deu um alerta. Primeiro, ele (falso médico) não sabia pronunciar o nome dela (paciente). Segundo, o tratamento dele para com a pessoa, nós desconfiamos. Quando nós falamos da intubação, ele não ficou seguro. Então, foi aí que descobrimos que era um golpe. Ligamos para o hospital, que negou as informações", conta Paula.

DELEGADO DÁ DICAS PARA NÃO CAIR NO GOLPE

O titular da Delegacia de Defraudações e Falsificações, delegado Andrade Júnior, dá dicas para a população cearense não cair no "golpe do falso médico", que passou a utilizar o nome de pessoas intubadas com Covid-19.

"Primeiro, não efetuar qualquer tipo de depósito. Se for hospital público, o hospital nem pode receber medicamento que não seja fornecido pelo Estado ou pelo Município. Num hospital particular, você tem que entrar imediatamente em contato com o hospital e com o chefe da UTI", afirma Andrade.

O delegado destaca a importância da vítima denunciar o golpe à Polícia Civil, para "dar condição para o órgão público efetivar a investigação e descobrir de onde está partindo isso".

"Nesse registro, ele deve colocar principalmente quais foram os dados e o telefone que ele recebeu essa ligação. Uma das dicas que a gente sempre dá é pesquisar a agência e o banco. Qual a lógica você estar com um ente hospitalizado no Ceará e fazer o depósito para outro Estado?" ANDRADE JÚNIOR, Delegado da Polícia Civil

'GOLPE DA VACINA' FOI REGISTRADO NO CEARÁ

A Polícia Civil do Ceará alerta, desde janeiro deste ano, para outra prática de estelionato, o "golpe da vacina", que também se aproveita do momento de pandemia de Covid-19. "O pessoal se passa por funcionários da Secretaria da Saúde do Município, dizendo que a pessoa está cadastrada para receber a vacina. Mas esse golpe é para tentar furtar o WhatsApp da pessoa", lembra o delegado Andrade Júnior.

Segundo o investigador, o golpista entra em contato com a vítima e pede um código que foi enviado por mensagem para o celular da pessoa. Enquanto a vítima pensa que está confirmando a sua identificação para receber a vacina, o golpista consegue habilitar o WhatsApp dela em outro celular e ter acesso à lista de contatos para, por exemplo, pedir dinheiro emprestado para uma suposta urgência.

Fonte: Diário do Nordeste

Não esqueça de compartilhar essa notícia!

Publicação anterior
Próxima publicação

0 comentários: