30 de jun. de 2021

Diretor do Ministério da Saúde teria pedido US$ 1 de propina por dose da AstraZeneca, segundo jornal; Roberto Dias foi exonerado do cargo.


Propina de US$ 1 por dose de vacina em troca de fechar contrato com o Ministério da Saúde teria sido pedida pelo diretor do Ministério da Saúde, Roberto Ferreira Dias, segundo o Jornal Folha de S. Paulo.

A informação foi repassada à repórter Constança Rezende por Luiz Paulo Dominguetti Pereira, que se apresenta como representante da empresa Davati Medical Supply. Ele disse que o diretor de Logística do Ministério da Saúde cobrou a propina em um jantar em Brasília, no último dia 25 de fevereiro.

Detalhes da "negociação"

"Eu falei que nós tínhamos a vacina, que a empresa era uma empresa forte, a Davati. E aí ele falou: 'Olha, para trabalhar dentro do ministério, tem que compor com o grupo'. E eu falei: 'Mas como compor com o grupo? Que composição que seria essa?'", detalhou Pereira, que ainda completou: “Ele me disse que não avançava dentro do ministério se a gente não compusesse com o grupo, que existe um grupo que só trabalhava dentro do ministério, se a gente conseguisse algo a mais tinha que majorar o valor da vacina, que a vacina teria que ter um valor diferente do que a proposta que a gente estava propondo".

Pereira reforçou que negou o pedido para participar de qualquer “grupo” e recebeu como resposta uma indicação de que a compra não ocorreria. “Eu falei que não tinha como, não fazia, mesmo porque a vacina vinha lá de fora e que eles não faziam, não operavam daquela forma. Ele me disse: 'Pensa direitinho, se você quiser vender vacina no ministério tem que ser dessa forma’”. Ao ser questionado sobre qual seria essa “forma”, o representante foi enfático: "Acrescentar 1 dólar". Segundo ele, US$ 1 por dose. "Dariam 200 milhões de doses de propina que eles queriam, com R$ 1 bilhão."

Roberto Dias está no cargo de diretor do Ministério da Saúde desde 8 de janeiro de 2019, durante a gestão do ex-ministro Luiz Henrique Mandetta (DEM). Dias foi indicado pelo líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR).

O Ministério da Saúde emitiu nota oficial na noite desta terça-feira (29/6), informando que a exoneração de Roberto Dias do cargo de diretor de Logística da pasta sairá na edição do Diário Oficial da União de quarta-feira (30). Ressaltou ainda que a decisão foi tomada na manhã de hoje.

Não esqueça de compartilhar essa notícia!

Publicação anterior
Próxima publicação

0 comentários: