29 de jun. de 2021

Operação contra facções é realizada a partir da apreensão de celulares em presídios do Ceará

 

Foto: MPCE

Uma operação deflagrada na manhã desta terça-feira, 29, visa o cumprimento de 20 mandados judiciais, sendo 10 de prisão e 10 de busca e apreensão por tráfico de drogas, na Serrinha e arredores, em Fortaleza. A Operação Garateia acontece após apreensão, ainda em 2019, de celulares em presídios cearenses e é uma ação do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) com o Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública – Região Nordeste e da Coordenadoria Integrada de Planejamento Operacional, da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

Os mandados judiciais foram expedidos pela Vara de Delitos de Organizações Criminosas do Estado do Ceará. Segundo a Gaeco, a investigação teve início com a apreensão de celulares nas celas das Unidades Prisionais do Ceará, em 2019. Na época ocorreram vários ataques contra prédios e repartições públicas, e em meios de transportes coletivos, malha viária e rede de distribuição elétrica e de telefonia da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). Os crimes tiveram como motivação a insatisfação dos líderes das facções criminosas que cumpriam pena nos presídios com o endurecimento das medidas de segurança adotadas pela administração penitenciária.

A partir dessa apreensão, foi possível desmontar a complexidade de uma organização criminosa que atua no bairro Serrinha e adjacências, voltada para o tráfico. Ela tinha braço com uma organização criminosa nacional.

Nome da operação

Garateia é um tipo de anzol com várias pontas, usado pra fisgar o maior número de peixes e se a apreensão de vários celulares nas unidades prisionais do Ceará no ano de 2019 (período dos ataques promovidos pelas facções criminosas) e foi a partir da “pesca” realizada no conteúdo desses aparelho que o MPCE descobriu uma organização criminosa que está em plena atividade no bairro Serrinha e adjacências.

Com informações do Jornal O POVO.

Não esqueça de compartilhar essa notícia!

Publicação anterior
Próxima publicação

0 comentários: