23 de fev. de 2022

Justiça anula ação de busca e apreensão contra Ciro Gomes

Por unanimidade, desembargadores aceitaram argumentos da defesa. A operação ocorreu em dezembro de 2021 e apurava suposto desvio de dinheiro nas obras do estádio Castelão, em Fortaleza, para a Copa do Mundo de 2014

Os desembargadores da Quarta Turma do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF-5), no Recife, concederam habeas corpus a pedido da defesa do ex-ministro e ex-governador Ciro Gomes. O pré-candidato à Presidência pelo PDT pediu anulação de mandado de busca e apreensão cumprido contra ele em dezembro do ano passado, durante a Operação Colosseum.

Os três integrantes da Quarta Turma concordaram com o pedido formulado pela defesa. O mandado, parte de uma operação da Polícia Federal, apurava suposto desvio de dinheiro nas obras do estádio Castelão, em Fortaleza, para a Copa do Mundo de 2014. O irmão de Ciro, o senador Cid Gomes (PDT-CE), também foi alvo da ação. Foram cumpridos ao todo 14 mandados de busca e apreensão.

Na ocasião, Ciro afirmou que o presidente Jair Bolsonaro estava por trás da operação com o objetivo de intimidá-lo. Bolsonaro rebateu e disse não ter como interferir na Polícia Federal. Hoje, em suas redes sociais, Ciro comentou a decisão do TRF-5.

"Mesmo nos momentos de maior indignação nunca duvidei de que a verdade e a justiça prevalecessem sobre o arbítrio, a manipulação e a prepotência. Esta decisão do TRF-5 honra o judiciário brasileiro", escreveu. O caso corre sob sigilo judicial.

Segundo o portal g1, os desembargadores apontaram "ausência de contemporaneidade" na ação policial, realizada quase dez anos depois de quando teriam ocorrido as suspeitas de irregularidades nas obras, entre 2010 e 2013.

Não esqueça de compartilhar essa notícia!

Publicação anterior
Próxima publicação

0 comentários: