14 de fev. de 2022

Prefeitura de Sobral não consegue cumprir promessa de equiparar o salário da Guarda Municipal com a Média do Nordeste



Com dois anos de salários congelados devido a Lei Complementar nº 173/2020, que condicionou os estados e municípios a evitar irresponsabilidade fiscal com as verbas destinadas ao combate à pandemia de coronavírus. Com a anulação dos efeitos da Lei, os servidores da Guarda Civil Municipal de Sobral, pleiteiam uma reposição salarial 15,03% equivalente aos índices inflacionários do período 2020 e 2021.

 O Sindsems que representa a categoria em Sobral, cobrou da secretaria Emanuele Leite, em audiência realizada na última quinta-feira (03), a necessidade da reposição inflacionária constitucional ao salário dos servidores, para recompor o poder de compra do salário base da categoria que atualmente é de R$1.133,29 reais e para que o mesmo não fique inferior ao salário mínimo vigente no país, de R$1.212,00 reais.

A secretária justificou, que o que foi possível avançar nesse período já foi anunciado: Reformulação do plano de carreiras; concurso público, aquisição de equipamos, viaturas e atendimento de políticas setoriais nos vários núcleos da secretaria. Que as novas tratativas de salário deverão ser negociadas diretamente com o gabinete do prefeito. Em resumo, 20% do efetivo da Guarda Municipal, vai ficar pelo terceiro ano sem reajuste de salário, e ainda não serão beneficiados pelas reformas do plano de carreira. Fonte: Wilson Gomes

Não esqueça de compartilhar essa notícia!

Publicação anterior
Próxima publicação

0 comentários: